|| MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS NO REVESTIMENTO EM FACHADA
Blog

MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS NO REVESTIMENTO EM FACHADA

MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS NO REVESTIMENTO EM FACHADA

Os revestimentos das fachadas possuem diversas funções que vão muito além da estética da edificação. Dentre estas funções, há a proteção da edificação que está diretamente associada à durabilidade dos elementos estruturais e das alvenarias de vedação, visto que a fachada protege das ações de agentes agressivos externos, como umidade, temperatura, fogo, gases, impactos, entre outros. Diante disso, entende-se a necessidade de uma execução de qualidade do revestimento da fachada.

Como o revestimento é inteiramente responsável pela estanqueidade da edificação, vícios construtivos possibilitam a incidência de infiltração. Principalmente nos revestimentos argamassados, o aparecimento de trincas oriundo da desconformidade de execução é muito comum, e possibilitam a percolação de águas pluviais para o interior do revestimento, ocasionando umidade no interior do empreendimento, além de diminuir a vida útil desse sistema de proteção da edificação.

Já nas fachadas que há a aplicação de placas cerâmicas, as inconformidades do rejunte entre as peças, possibilitam a entrada de águas pluviais por esses poros. Além disso, a escolha errônea do material, ou seja, existe a aplicação de um material inadequado para trabalhar em área externa, ocasiona o aparecimento de manchas esbranquiçadas, que são denominadas eflorescência, tais manchas não só prejudicam a estética do ambiente, como também diminuem a durabilidade do rejunte.

É necessário ressaltar ainda o desplacamento, tanto cerâmico quanto da argamassa, proveniente da falha na etapa de limpeza do substrato e a aplicação correta do material. A falta de aderência entre a base do revestimento e o substrato (alvenaria de vedação e estrutura) é caracterizado como um item crítico, visto que podem ocasionar acidentes, caso haja a soltura do revestimento e uma pessoa esteja próxima ao local. Caso identificado a falta de aderência aludida, é necessária uma intervenção imediata, para o bem da segurança dos moradores e usuários do condomínio.

A execução do revestimento em fachada consiste em diversas etapas e camadas, que devem ser seguidas de acordo com as especificações normativas, bem como, o projeto de execução, uma vez que a ausência de uma etapa de execução, ou, os vícios construtivos, prejudicam toda a durabilidade e funcionamento do revestimento. Ademais, a inspeção das fachadas é essencial para verificar as anomalias e suas origens, atribuindo a devida responsabilidade técnica a quem lhe for de direito.